Santa Missa: perfeita Oferenda a Deus

 

 

 


Em 1936 Nossa Senhora apareceu no Norte do Brasil para avisar que três grandes castigos cairão sobre o Brasil. Ela disse: O sangue inundará o Brasil por causa do comunismo, e haverá uma guerra civil caso não haja conversão, jejum, penitência e oração. DIGA NÃO AO PT - DIGA NÃO AO PT, e vamos pedir para nossa Mãe Celestial que afaste de nós os castigos. Leia a matéria completa aqui - CLIQUE AQUI!!! DIGA NÃO AO PT - DIGA NÃO AO PT - Faça como o Padre José Augusto da Canção Nova que denunciou o PT e não se acovardou - assista aqui o que ele disse - CLIQUE AQUI!!! - DIGA NÃO AO PT - DIGA NÃO AO PT

Santa Missa: perfeita Oferenda a Deus

Santa Missa: perfeita Oferenda a Deus

A Santa Missa é a perfeita Oferenda a Deus porque nela se oferece próprio Deus em Sacrifício                                                                   
A MISSA É O ATO de culto mais importante que existe na face da Terra. É portanto, o que há de mais importante na Religião. É da Santa Missa que nos vêm, direta ou indiretamente, todas as graças que recebemos, já que é a frequente renovação incruenta (isto é, sem sangue nem sofrimento) do Sacrifício do Calvário.
Na cruz, Nosso Senhor jesus Cristo se ofereceu em Sacrifício à Santíssima Trindade. E esse Sacrifício tem um valor infinito, pois Jesus é verdadeiramente Deus e verdadeiramente homem. No Sacrifício da cruz, Nosso Senhor era a um só tempo Sacerdote e Vítima.
Sacerdote sem mácula, perfeita e infinitamente santo, Mediador perfeito entre Deus e os homens. Vítima igualmente perfeita, obedecendo até a morte e morte de cruz para o nosso bem. – Para nos dar a vida eterna. – Na cruz, Cristo adorou perfeitamente à Santíssima Trindade. Na cruz,  realizou uma ação de graças perfeita à Santíssima Trindade. Na cruz, Cristo obteve para nós o perdão dos nossos pecados, satisfazendo por eles com seus sofrimentos, mas sobretudo com seu Amor/caridade perfeito para com Deus e para com os homens. Na cruz, Cristo nos alcançou da Santíssima Trindade, por seus méritos sem medidas, todas as graças de que precisamos para nos salvar.
É pela Missa que podemos nos unir ao Sacrifício de Cristo no Calvário, pois a Missa é a renovação desse único e definitivo Sacrifício. tudo o que Cristo fez na cruz nos é aplicado pela Santa Missa: Sacrifício que é renovado no momento da Consagração, o ponto mais alto e importante de toda celebração, toda oração, toda adoração e toda devoção católica. É o ápice, o fundamento e a essência de tudo que fazemos e podemos fazer para agradar a Deus. É a oportunidade que temos para adorar a Deus perfeitamente, para agradecer por todos as graças e benefícios.
É pela Santa Missa que alcançamos também o perdão de nossos pecados veniais e o arrependimento que nos leva à confissão dos pecados mortais.
A Santa Missa tem valor infinito. É graças à Santa Missa que podemos ganhar a vida eterna de felicidade no Céu, em Deus. Podemos, assim, compreender porque a Igreja nos exorta com tanta veemência a ir todos os domingos assistir Missa, sob pena de pecado grave. Salvo motivos de força maior, não deixemos jamais de assistir à Missa.
Para assistir à Missa com frutos, isto é, para agradar e ter verdadeira Comunhão com Deus, além de obter tantas graças e benefícios e o arrependimento dos nossos pecados, é recomendado que nos ofereçamos inteiramente a Nosso Senhor pelas mãos de Maria Santíssima. Devemos oferecer todos os nossos sofrimentos e alegrias, nossa inteligência, nossa vontade, tudo. Eis a união perfeita de nossas vidas ao Sacrifício de Nosso Redentor.
Por fim, na Missa, devemos pedir não só por nós, mas também pelos que nos são caros, pela nossa pátria, pelo mundo inteiro e (lembrar sempre disso) pelas almas que sofrem no Purgatório, especialmente as mais abandonadas. Devemos pedir pela conversão dos pecadores, pela perseverança dos justos e pelas almas que sofrem no outro mundo.
A verdadeira participação na Missa (expressão tão querida dos católicos de tendência modernista) consiste não em falar, cantar e expressar-se ruidosamente todo o tempo, mas sim em oferecer-se inteiramente a Deus, unindo-se ao Sacrifício de Cristo renovado sobre o Altar, para que venhamos a desfrutar, também com Ele, da alegria sem fim da Ressurreição, já neste mundo e depois, eternamente.