Qual é o sentido do “Amém” dentro da missa?

 

 


Em 1936 Nossa Senhora apareceu no Norte do Brasil para avisar que três grandes castigos cairão sobre o Brasil. Ela disse: O sangue inundará o Brasil por causa do comunismo, e haverá uma guerra civil caso não haja conversão, jejum, penitência e oração. DIGA NÃO AO PT - DIGA NÃO AO PT, e vamos pedir para nossa Mãe Celestial que afaste de nós os castigos. Leia a matéria completa aqui - CLIQUE AQUI!!! DIGA NÃO AO PT - DIGA NÃO AO PT - Faça como o Padre José Augusto da Canção Nova que denunciou o PT e não se acovardou - assista aqui o que ele disse - CLIQUE AQUI!!! - DIGA NÃO AO PT - DIGA NÃO AO PT

Qual é o sentido do “Amém” dentro da missa?

Qual é o sentido do “Amém” dentro da missa?

Confira quais são os momentos certos de dizer "Amém" na missa e a importância desta palavra

Participando de tantas celebrações eucarísticas, podemos deixar passar, despercebidamente, o significado e os momentos em que dizemos o “Amém”, que, lamentavelmente, tantas vezes é inaudível, por outras vezes se diz onde não se deve ou até mesmo se deixa de se dizer onde ele existe, sendo, portanto, obrigatória a sua manifestação.

Nesse artigo quero recordar para melhor poder se viver o que o direito litúrgico determina a esse respeito, entretanto, antes disso, gostaria de analisar, no campo etimológico o que ele quer dizer: num dos mais utilizados dicionários de nossa lusitana língua, e que é editado em nosso país, encontramos a seguinte definição:

Amém – palavra litúrgica de aclamação, que indica anuência firme, concordância perfeita, com um artigo de fé; assim seja; concordância; aprovação, consentimento, confirmação…

Na Celebração Eucarística, o AMÉM ocorre com grande frequência, mesmo naquelas que são celebradas cotidianamente, sobretudo, ele é dito por parte dos fiéis como resposta ao presbítero ou bispo presidente, ou mesmo por toda a assembléia celebrante:

1. No início da Celebração, logo depois que se faz a persignação, quando somente o presidente diz:

“Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo” – Todos respondem: Amém.

2. Como resposta a Oração, dita unicamente pelo presidente e que conclui o Ato Penitencial:

“Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe o nossos pecados e nos conduza a vida eterna” – Todos respondem: Amém.

3. Na conclusão da Oração da Coleta (Oração do Dia), que é dita unicamente pelo presidente em suas três possíveis formas para a doxologia final:

“Oremos… Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus Convosco, na Unidade do Espírito Santo ou Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso filho, na unidade do Espírito Santo e se dirigida a Jesus: Ele que Convosco vive e reina na unidade do Espírito Santo. – Todos respondem: Amém.

4. Depois da conclusão feita pelo presidente à Oração dos Fiéis:

“Por Cristo, nosso Senhor” – Todos respondem: Amém.

5. No momento em que o presidente conclui a Oração sobre as Oferendas:

“Por Cristo, nosso Senhor” – Todos respondem: Amém.

6. No final da Oração Eucarística (cânon), que é dita pelo presidente e ou os presbíteros concelebrantes, mas não pelos fiéis depois da doxologia conclusiva:

“Por Cristo, com Cristo, em Cristo… – Todos respondem: Amém.

7. Na conclusão das Orações depois do Pai Nosso (que não tem Amém), ditas pelo presidente somente, e imediatamente antes do Rito da Paz:

“Vós que sois Deus, com o Pai e o Espírito Santo – Todos respondem: Amém.

8. Durante a comunhão, em resposta às palavras do ministro ordinário ou extraordinário que distribui a Santíssima Eucaristia:

“Corpo de Cristo ou Corpo e Sangue de Cristo – individualmente, responde-se: Amém.

9. No final da Oração Depois da Comunhão, dita unicamente pelo presidente:

“Por Cristo, nosso Senhor – Todos respondem: Amém.

10. Como resposta à bênção final dada pelo presidente:

“Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho e Espírito Santo – Todos respondem: Amém.

Na Celebração Eucarística, em alguns casos somente realizadas nos Domingos e Solenidades a palavra AMÉM pode ressoar também em outras ocasiões:

11. Quando se recita o Glória, seja em latim ou língua vernácula – Todos respondem: Amém.

12. Se está presente um diácono, antes de proclamar o Evangelho ele pede a bênção ao presbítero (Dá-me a tua bênção!); se for um Bispo que preside e um presbítero proclama, esse pede a bênção ao bispo (Dá-me a tua bênção!) – O diácono ou o presbítero respondem: Amém.

13. Se há recitação do Credo, em língua vernácula ou latim, ao seu final – Todos respondem: Amém.

14. Se a Bênção final é dada de forma solene, lamentavelmente, algo em desuso em tantos lugares – Todos respondem: Amém, desse modo: depois do convite ao “inclinai-vos para receber a bênção!”, após cada uma das invocações feitas pelo presidente, geralmente três e também após a fórmula de bênção.

Que o nosso Amém, portanto, seja dito com disposição e convicção, no lugar certo e também na hora certa. Amém!

(D. Hugo da Silva Cavalcante, OSB, via Fé Explicada)