Esperança em tempos de guerra... Interior!

Esperança em tempos de guerra... Interior!

Esperança em tempos de guerra... Interior!


Por Felipe Marques – Fraternidade São Próspero



É DO CONHECIMENTO de todos que a Santa Igreja Católica sofreu, sofre e sempre sofrerá perseguições de todos: muçulmanos, comunistas, globalistas. Entretanto, o que mais escandaliza alguns fiéis, hoje em dia, é ver a Igreja sendo perseguida e destruída por dentro, pelos próprios católicos que deveriam amar e cuidar de sua Santa Madre... Se você é um desses fiéis, deixo esta mensagem de esperança do biógrafo Guilherme Sanches Ximenes:

“Nas épocas de especial dificuldade para a Igreja, Deus parece suscitar inúmeros Santos para que a reergam e façam brilhar novamente no seu rosto a sua eterna beleza de Esposa de Cristo. Assim aconteceu naqueles anos da Renascença, ensanguentados pelos povos em guerra em toda Europa, enlameados pela decadência moral da população, escandalizados com o espetáculo de papas preocupados com o prazer, as honras, as artes ou a política, com uma Igreja despedaçada pela revolta e pelo cisma. Diante desse panorama em que tudo parecia sem solução, Deus quis mostrar como cuida da sua Igreja, e como realmente as portas do Inferno não prevalecerão contra Ela (Mt 16, 18): foi nesses cem anos que nasceram Teresa de Ávila, Pedro de Alcântara, João da Cruz, Camilo de Lélis, Inácio de Loyola, Francisco Xavier, Carlos Borromeu, Francisco de Sales, Filipe Neri e tantos outros Santos que realizaram um trabalho de renovação nunca dantes visto, apoiado inteiramente na humildade, na obediência, na fidelidade, na caridade – na renovação interior, numa palavra.”1

Se os tempos são difíceis, por outro lado, Deus continua nos chamando à sermos luz do mundo e sal da Terra. Se você ama Santos e Santas e os admira como heróis, saiba que você também é chamado a ser como eles! Sim, seja o herói que você tanto admira, torne-se o Santo ou a Santa que Deus quer que você seja. Lembre-se: a Igreja Católica não precisa mudar a doutrina, nem nada do tipo... A única coisa que precisa mudar na Igreja Católica são os próprios católicos!