Como a ciência está descobrindo sobre o perdão

Como a ciência está descobrindo sobre o perdão

Como a ciência está descobrindo o que a religião conhece através do perdão

Os pesquisadores estão aprendendo que o processo de perdoar alguém melhora a nossa saúde

Os benefícios do perdão, agora validados pelo mundo científico, incluem a redução de dor crônica, doenças cardiovasculares, comportamento violento, depressão, ansiedade. As pessoas que não perdoam sofrem níveis elevados de pressão arterial e, muitas vezes, problemas cardíacos, bem como outros problemas de saúde.

O perdão é um processo (ou o resultado de um processo) que envolve uma mudança em suas emoções e atitudes em relação a um agressor. Isso nos leva a não mais querer atacar ou distanciar-nos do ofensor, apesar de suas ações, e isso nos obriga a deixar de lado as emoções negativas.

O perdão não deve ser confundido com a desculpa, a tolerância, a absolvição ou o esquecimento:

  • Desculpar significa tomar a decisão de não responsabilizar uma pessoa ou um grupo por sua ação.
  • Tolerar significa que não vemos a ação como negativa ou inapropriada, e que não consideramos necessário perdoar o autor da ação.
  • Absolver significa declarar que a pessoa não tem culpa pelos crimes cometidos, e isso só pode ser feito por um representante judicial.
  • Esquecer significa eliminar a ofensa de nossos pensamentos.

Perdoar traz grandes benefícios para as vítimas de uma ofensa:

  • Uma melhora na saúde física e mental.
  • Uma restauração do senso de empoderamento pessoal.
  • Uma clara e saudável possibilidade de reconciliação entre o agressor e a vítima.
  • Uma mudança positiva na estrutura afetiva.

Quatro aspectos fundamentais para melhorar a sua vontade de perdoar e aprender a curar as feridas do passado:

  • O perdão é para aquele que o dá, não para aquele que o recebe.
  • Perdoe, porque em outras circunstâncias o autor pode usar isso a nosso favor.
  • O perdão leva tempo. O perdão não faz a dor desaparecer imediatamente.
  • O perdão não é um presente para o culpado, mas algo que fazemos dentro do nosso próprio coração. Não significa necessariamente reconciliação. O perdão é uma decisão, independentemente da pessoa que está sendo perdoada; isso significa que estamos deixando a dor ir.

Ser capaz de perdoar é um presente para nós mesmos. Não só beneficia a pessoa perdoada, mas também quem perdoa.

Quando não perdoamos, nós (a vítima) permanecemos acorrentados à pessoa que nos machucou, e enquanto não aceitarmos esse perdão, não poderemos sair do poder que o agressor ainda tem sobre nós.

Quando não somos capazes de perdoar, causamos um fluxo de emoções negativas que nos impedem de empreender planos mais positivos e construtivos.

O perdão é uma decisão para deixar a dor ir. Isso não significa deixar a pessoa continuar nos machucando. Para que a reconciliação aconteça, o agressor precisaria pedir perdão e prometer firmemente nunca mais machucar a vítima. O perdão, ao contrário, não exige o arrependimento da pessoa culpada.

Podemos perdoar os mortos, mas não podemos nos reconciliar com eles. Podemos perdoar alguém que nos machucou, mas não precisamos deixá-los em nossa vida para fazer isso novamente. Naturalmente, perdoar nossos agressores enquanto eles ainda estão vivos é um sinal de grande maturidade humana e é sempre um presente que damos aos outros e a nós mesmos. Não vamos esquecer que todos têm direito a uma segunda chance.