Aos pés da Cruz branca aquela ferida desapareceu

Aos pés da Cruz branca aquela ferida desapareceu

Aos pés da Cruz branca aquela ferida desapareceu

 

TESTEMUNHO
Aos pés da Cruz branca aquela ferida desapareceu

Traduzido do italiano por Gabriel Paulino

Fonte: Jornal italiano OGGI – junho 2011

Aos pés da Cruz branca aquela ferida desapareceu

Pode acontecer que até mesmo um frade, consagrado a Deus, perca a fé e a serenidade. Aconteceu ao franciscano Stefano Mastroippolito, após a inesperada morte de seu pai, que ocorreu em 22 janeiro de 2007. Seu depoimento, contado mais longamente no livro de Margherita Enrico, UM MILAGRE NA MINHA VIDA, diz-nos, no entanto, como também Deus foi ao seu encontro, curando-o milagrosamente de um tumor, em Medjugorje. Frei Stefano atribui a sua doença ao ressentimento que tinha do Senhor, "a convicção de que Jesus tivesse me abandonado. Onde está Jesus ? invocava-o em vão”. sentindo-se traído nas raízes de sua vocação, o físico se enfraqueceu e o mal se enraizou. No verão de 2008 é golpeado por uma doença súbita que foi diagnosticada com um câncer no cóccix sacro. Seguem múltiplas consultas com especialistas e duas operações, mas o paciente não melhora. Os confrades então começam a confiá-lo à Rainha da Paz e em junho de 2009, o superior do convento levanta a possibilidade de participar do festival da juventude em Medjugorje. Stefano aceita de bom grado, mas logo após a lesão retal, que o atormenta por meses, piora e os médicos decidem-se por uma terceira intervenção. “ A minha primeira reação foi chorar desesperado, mas ainda comecei com a terapia com laser em San Giovanni Rotondo, e apesar das dores lancinantes, em 30 de julho parti para a Herzegovina.” Aqui o frade redescobre, na oração, a presença de Deus; e, depois de tanto tempo, reencontro a humildade de ajoelhar-se diante do sacrário. Dirigindo-se a Nossa Senhora, disse: “Querida Rainha da Paz, te peço de me ajudar a curar.” Vive a peregrinação com grande intensidade, levantando-se cedo de manhã e andando pela colina descalço, meditando o Rosário e participando da Missa, ao amanhecer do dia 6 de agosto, ao final da celebração eucarística na montanha do Krizevac, no dia da transfiguração, algo surpreendente acontece. “Estava ajoelhado aos pés da Cruz branca quando ouço uma voz de mulher que me dizia: “STEFANO, ESTÁS CURADO!”. Me apavorei e perguntei: “O QUE ? O QUE ?”, e assim fazendo me virei e não vi ninguém. Mas a voz retorna: “STEFANO, ESTÁS CURADO!”. A confirmação aconteceu na pensão. A ferida desapareceu por completo.”