Testemunho do padre Reinaldo

 

 

Baixe este livro de combate Espiritual gratuitamente


Em 1936 Nossa Senhora apareceu no Norte do Brasil para avisar que três grandes castigos cairão sobre o Brasil. Ela disse: O sangue inundará o Brasil por causa do comunismo, e haverá uma guerra civil caso não haja conversão, jejum, penitência e oração. DIGA NÃO AO PT - DIGA NÃO AO PT, e vamos pedir para nossa Mãe Celestial que afaste de nós os castigos. Leia a matéria completa aqui - CLIQUE AQUI!!! DIGA NÃO AO PT - DIGA NÃO AO PT - Faça como o Padre José Augusto da Canção Nova que denunciou o PT e não se acovardou - assista aqui o que ele disse - CLIQUE AQUI!!! - DIGA NÃO AO PT - DIGA NÃO AO PT

Testemunho do padre Reinaldo

Testemunho do padre Reinaldo 

 

Pinheiro O diretor espiritual em nossas peregrinações, padre Reinaldo Pinheiro, nos contou durante a viagem algumas de suas incríveis experiências: “Em 1987 eu estava em um estado de vazio, não tinha paz, não conseguia mais dormir, tomava remédios. O mundo já tinha me tragado, não sabia que era por falta de Deus, não ia mais à Missa, não rezava o Rosário, não me confessava. Comprava sem receita médica diazepan, tensil... Ouvi que o governo iria exigir receita médica para tomar antidistônicos e vi que a minha situação era grave, tão novo e teria que ir ao médico para poder conseguir dormir... Morava em um quarto alugado na 704 sul em Brasília, próximo a igreja Dom Bosco. Ia para o trabalho no Banco Central, passava pela igreja mas não entrava nela não. Sempre a noite eu fazia um lanche antes de dormir. Fui pegar o lanche e vi em cima da mesa um livro sobre as aparições de Nossa Senhora. Perguntei para a dona da casa que livro era este. Ela me disse: “é sobre as aparições de Nossa Senhora!” Eu disse: “È Lourdes ou Fátima ??” Ela me disse: ”Não! Nossa Senhora está aparecendo!” Eu respondi: ”Que história é essa de aparecendo ???” Aquilo me chamou a atenção e pedi o livro emprestado. Era um livro da edições boa nova de Portugal. Achei a história interessamte; Quando chegou na primeira mensagem de Nossa Senhora que ficavam em negrito, aquela mensagem começou a flutuar como uma onda do mar na minha frente! Nunca tinha visto isto na minha vida ! Será que estou dormindo ? Chegava na próxima mensagem e flutuava de novo! Eu pensei: o que Nossa Senhora está pedindo: jejuar, ir à Missa, confessar uma vez ao mês, rezar o Rosário... é difícil mas não é impossível! Vou tentar ! Quem sabe a minha vida melhora... já estou no fundo do poço tomando remédio para dormir! Eu saí um pouco da casa, e voltei a ler o livrinho e as mensagens continuavam flutuando. Vi que não estava sonhando. As mensagens pediam para rezar o terço, jejuar, ir à Missa... eu pensava: que vergonha! Com 40 anos pedir para alguém me ensinar a rezar o terço! Quando as mensagens ondulavam, eu me sentia um arrepio em todo o meu corpo e me sentia entrando naquele livro. Uma comunhão com aquela história. Senti imediatamente que não devia mais tomar remédio. Foi a noite que dormi melhor na minha vida! Acordei com uma alegria reconfortante! Fui ao trabalho com alegria e queria logo voltar a ler o livro. Tomei a decisão de jejuar as quartas e sextas. Comecei a jejuar imediatamente. Li que tinha que ler Mateus 6,24-34. Pensei: “O que é isto ??” Entrei na igreja São Camilo pisando em cascas de ovos, como uma pessoa estranha a Igreja e na secretaria me disseram que depois da Missa teria o terço. Era isto que eu precisava aprender! Não ia precisar me envergonhar em perguntar a alguém como rezar. Não tinha Bíblia em casa e não sabia onde encontrar! Lembrei que tinha uma livraria protestante perto do setor comercial sul. Sabia que o Evangelho devia ser igual a Bíblia católica. Queria saber o que era Mateus 6,24-34. Estava curioso. Se a mensagem era tão forte, mais forte devia ser a Bíblia! Então eu li: “Não vos preocupeis com o comer e com o vestir. Se Deus cuida dos pássaros e das flores nem Salomão em sua glória se vestiu como eles ! Procurai primeiro o Reino de Deus e Sua Justiça e tudo o mais será dado por acréscimo.” Eu pensei: “Como assim ??? Não tenho que trabalhar todos os dias ???” Pedi a Deus que me iluminasse, o que significava não se preocupar com o comer e com o vestir. De fato, colocar Deus em primeiro lugar, cumprir os mandamentos e o resto é conseqüência ! De fato, me veio uma paz muito grande. Por 10 anos não sentia mais dor! Não tomei nem um melhoral por 10 anos! Eu que não gostava de Brasília, não sentia mais necessidade de fugir. Passei a me confessar mensalmente e ir à Missa diariamente. Ouvi a musica: “Maria de Nazaré, Maria me cativou, fez mais forte a minha fé e por filho me adotou!” Senti que Maria me tratava como filho. Consegui um filme sobre Medjugorje em 1987 e passei a divulgar em Brasília. Eu estava noivo e minha noiva ficou chateada porque eu agora só falava em igreja. Eu disse: “minha filha, entre Nossa Senhora e você, eu prefiro Nossa Senhora!” Em 1989 senti uma vontade muito forte de chegar em Medjugorje. Não conhecia ninguém que tivesse ido lá. Procurei uns mapas, fui até Roma, depois Dubrovnik e com certa dificuldade cheguei a Medjugorje. Já fui para passar ali uns 50 dias. Queria ficar em uma casa de croatas para aprender o croata. A cidade era pequena. Apenas a igreja, a colina das aparições e a montanha do Krizevac. Arrumei uma casinha de pedra entre a colina, a montanha e a igreja. O pessoal ficou encabulado comigo: “Mas você vindo aqui pela primeira vez e fica logo 50 dias!” Me confessei com padre Jozo e senti pela primeira vez o chamado à vocação. Era 1989. Mas pensava: com 42 anos ser padre ? Nossa Senhora providencie isto ! Ela vai me tornar padre sem eu dar um passo! Divulgava a mensagem porque sentia que a mensagem era forte e que Nossa Senhora faria o trabalho. Passei a mandar a mensagem de forma anônima pelo correio para muitas pessoas. Fundei a associação Servos da Rainha em dezembro de 1990. Em 1991 passei a traduzir o Eco de Medjugorje para o português. Fizemos o primeiro filme. Passamos este filme em algumas canais de televisão. Em 1992 começamos o segundo filme sobre Medjugorje. Víamos a guerra do outro lado da colina e a guerra não chegava em Medjugorje. Havia uma proteção especial de Nossa Senhora! Víamos as barricadas, o estouro das granadas... mas em Medjugorje somente paz ! Os muçulmanos procuravam destruir as igrejas e violar os cemitérios. Para os católicos os cemitérios eram sagrados mas para os muçulmanos não eram! A igreja de São Tiago era um alvo fácil, pois ficava no meio dos campos. O piloto não via a cidade porque uma nuvem luminosa atrapalhava. Ele jogou cinco bombas no escuro e nenhuma delas explodiu! Em 1989, falei com Nossa Senhora: vou para Medjugorje, não quero ver sinais! Já acredito, já fui tocado, já tenho paz no coração, já voltei para a Igreja, já estou confessando, já estou comungando, rezando meu terço, fazendo meu jejum, já basta! Vou para Medjugorje fazer um retiro. No dia em que cheguei a Medjugorje fui a Missa na igreja na tarde de domingo. A Missa era fora da Igreja mas não existia o altar circular externo, apenas um palanque de madeira, um estrado de madeira com o altar, o sacerdote ficava de frente para o povo e as pessoas ficavam olhando para o Krizevac, era o contrário do que existe hoje. Era uma tarde linda, olhando para as montanhas... Uma luz bem forte em cima do Krizevac. Pensei: “é uma luz para orientar os aviões.” Demorou um pouco e a luz desapareceu. Ouvi depois uns mexicanos dizendo que viram uma luz no Krizevac achando que era luz elétrica e que subiram e não tinha luz nenhuma lá em cima e confirmei com eles que também tinha visto esta luz. A noite ia fazer adoração com os jovens no cemitério e quando voltava para casa rezando o terço após a adoração e desceu do céu uma boa de fogo e antes de cair no chão ela desapareceu. Subia sempre o Krizevac de madrugada rezando e fazendo a via-sacra. Uma vez subi no Krizevac uma vez sozinho fazendo a via sacra e rezando o Rosário. Era uma e meia da manhã. Diante da 15ª estação próxima a cruz do Krizevac. Comecei a contemplar a ressurreição de Jesus e outra bola de fogo caiu do céu perto de mim, desapareceu e me deixou uma forte alegria. Outro dia na colina das aparições, muitas pessoas do mundo inteiro estavam rezando em suas línguas e olhei para o vale entre o Krizevac e a Igreja e vi uma estrela cadente. Pensei: “não é sinal, apenas uma estrela cadente.” Então caiu outra estrela maior e vi que era um sinal. Tinha uma moça do meu lado e vi que ela estava triste. Pensei: “Como pode ter alguém triste aqui num lugar onde Nossa Senhora aparece e dá mensagem, com Deus presente ??” Mostrei pra ela o lugar onde tinha visto as duas estrelas caindo. Então olhando para o mesmo local, apareceu uma bola de fogo imensa maior que uma lua cheia e ficava virando e derretendo. Ela ficou numa exultação tão grande e senti que que Deus tinha ouvido a minha oração e minha preocupação e mostrado que Nossa Senhora estava ali. De vez em quando a encontrava. Ela era americana. Saiu transformada de Medjugorje. A nossa preocupação pelos outros e nossa oração pelos outros é ouvida por Deus. Em 1990 eu estava em frente a Igreja e chegou um rapaz perto de mim e disse que era da BBC de Londres e me pediu para rezar a ave-maria em português. Ele queria registrar a ave-maria em várias línguas. No ano seguinte eu estava passando nas plantações, ouvi a minha voz rezando a ave-maria. De fato era a minha gravação. Foi apenas algum segundos mas tocou exatamente quando eu estava passando! Uma noite em 1989 tive muitas provações. Ouvia passos como se fosse o demônio se aproximando de mim. Em uma sexta-feira, eu vi ainda dormindo como se entrasse pela parede uma moça nova, bonita e sorria pra mim. Eu disse ainda meio dormindo: vá embora porque aqui é uma casa de família! E então pela janela do quarto a figura de uma senhora inclinada com um véu na cabeça. Eu disse: Maria ! E acordei. No dia seguinte eu vi uma estampa de Nossa Senhora exatamente igual a da figura que eu vi pela janela! Da primeira vez que vim aqui sentia muitas vezes o perfume de rosas. Eu dizia a mim mesmo: as mulheres aqui usam o mesmo perfume, agradável, elas devem comprar na mesma butique ! Mas depois que falei com Jelena entendi que era a presença de Nossa Senhora. Em 1993 depois de terminar uma filmagem fui agradecer a Nossa Senhora por ter conseguido filmar todas as pessoas que eu precisava: padre Jozo, os videntes. Era a hora da aparição. As aparições ainda aconteciam no coro da Igreja. Senti Nossa Senhora me abraçando. Em meu corpo corria um calor e uma paz muito grande. Naquela noite eu falei o croata fluentemente! Em 1989 eu fiquei até a festa da Exaltação da Santa Cruz e ficava no altar externo. Durante a Missa senti no coração que iria ter um sinal com a cruz quando a lua estivesse em cima da montanha. Levamos uma filmadora e tudo permanecia normal. Mas na filmadora aparecia a cruz dentro da lua, a lua como uma hóstia e a cruz estava viva, parecia ser feita de pedras preciosas! Tentamos subir até a cruz, mas a montanha subitamente ficou coberta por uma nuvem e ficamos com medo de subir. Foi algo impressionante. Outra vez andando pela estrada do Krizevac e na 12ª estação vi uma luz. Não tinha ninguém. Tinham 12 velas recém acesas! Eu perguntei para Jesus o porque daquelas velas acesas. Veio um forte vento e apagou todas as velas. Chorei muito diante da cruz. Quando voltei para o Brasil sofri uma forte perseguição pela divulgação das mensagens da Rainha da Paz. Em Tihaljina, durante uma Missa com padre Jozo, vi em visão interior, Jesus passando em direção ao altar. O via de costas sem camisa e flagelado. E um pecado que eu tinha cometido virou uma flecha que transpassava o corpo de Jesus. Foi algo muito forte para mim. Durante uma perseguição pela divulgação de Medjugorje, em oração ouvi Jesus me falando: “se quer ser Meu discípulo, pegue a sua cruz e me siga!” Nunca duvidei das aparições. Desde 1987 que conheço Medjugorje. Nossa Senhora renovou a minha vocação. Testemunho para o grupo de junho/2011